Sobre Inferno - Lucas 16.19-31

O inferno existe e vocês acreditam?
A vida após a morte pode ser de felicidade no céu ou dor no inferno (Lucas 16.19-31; Lc 16.19-31).
Se desvia o teu entendimento pela palavra de Deus. Então os seus caminhos são desviados no Senhor.
Para o sábio o caminho de vida que o leva para cima, a fim de evitar o inferno embaixo (Provérbios 15.24; Pv 15.24).
O inferno é a tradução da palavra grega, gehenna.
Deus é o juiz que julga (Apocalipse 20.11-15; Ap 20.11-15; 2 Timóteo 4.1; 2 Tm 4.1). Jesus Cristo é o advogado para quem deseja livramento de julgamento (1 João 2.1; 1 Jo 2.1). O juiz aqui da terra condena quem infringir as leis civis dos homens. Tem condenação perante os homens e também perante as leis morais de Deus.
Sobre o purgatório inexistente na palavra de Deus. Segundo a Igreja, no inferno é um lugar de castigo temporário, ao invés, de ir para o céu, tem que sofrer temporariamente no inferno, até quando?
Vamos consultar o dicionário e analisar a palavra eternidade, porque o castigo é eterno e diferente de temporário. 
Purgatório: lugar de purificação das almas dos justos, antes de admitidas na bem-aventurança. Para se admitir na bem-aventurança é enquanto estar vivo ao confessar que Jesus é o Senhor e Salvador (Mateus 10.32-33; Mt 10.32-33; Lucas 12.8; Lc 12.8; Romanos 10.8-10; Rm 10.8-10; Atos 2.24; At 2.24; Atos 16.31; At 16.31).
O ladrão na cruz nem passou no purgatório ao reconhecer Jesus Cristo - Salvador que levaria para o céu.
Jesus perdoa e salva qualquer pessoa que confessar seus pecados.
Quem está no inferno não pode ir para o céu e vice-versa (Lucas 16.26; Lc 16.26). 
Abismo no NT designa o fundo do poço, segundo a tradução judaica, servia de prisão para os espíritos malignos (Lucas 8.3; Lc 8.3; Apocalipse 9.2; Ap 9.2; Apocalipse 11.7; Ap 11.7; Apocalipse 17.8; Ap 17.8; Apocalipse 20.1-3; Ap 20.1-3). 
Inferno é o lugar de dor e castigo eterno. O precipício é o submundo dos espíritos imutáveis, porque a dor é eterna.
A alma pode ser purificada ou transformada. O psicológico pode ser mudado, o caráter, o ódio para o amor. 
Desconheço que o espirito é purificado no purgatório. Justo não vai entrar no purgatório ou condenação.
Entrega o seu corpo espiritual (1 Coríntios 15.44-45; 1 Co 15.44-45) a Deus como fizeram Davi que entregou o seu espirito ao Senhor (Salmos 31.5; Sl 31.5), e Jesus entregou o seu espirito ao Pai (Lucas 23.4; Lc 23.4), e também Estevão entregou o seu espirito a Deus, e Elias subiu ao céu (1 Reis 2.11; 1 Rs 2.11). 
O rico e o mendigo. Mas certo homem era rico e costumava cobrir-se de púrpura e de linho regalando-se de dia a dia com magnificência (Lucas 16.19; Lc 16.19). Se vestia de púrpura, isto é, vestimenta tingida de roxo, que reis autoridades, potentados - homens poderosos vestiam roupas caras. Um homem rico. Às vezes recebe o nome Dives, em latim "rico". 
Mas, certo mendigo, de nome Lázaro, costumava ser colocado junto ao seu portão, estando cheio de úlceras e desejoso de saciar-se com as coisas que caíam na mesa do rico. Sim, também os cães vinham e lambiam as úlceras.
Os cães: animais considerados pelos judeus como desprezíveis e impuros (Salmos 22.16,20; Sl 22.16,20; Provérbios 26.11; Pv 26.11; Mateus 7.6; Mt 7.6); o cúmulo dos males para Lázaro era poder defender-se deles. Ora, no decorrer do tempo, morreu o mendigo e foi carregado pelos anjos para [a posição junto ao seio de Abraão. Para o seio: expressão que indica lugar de preferência (Jo 13.23). Expressão judaica que corresponde à antiga
locução bíblica "reunir-se a seus pais", isto é, aos patriarcas (Jz 2.10; Gênesis 15.15; Gn 15.15; Gênesis 47.30; Gn 47.30; Deuteronômio 31.16; Dt 31.16). A imagem exprime intimidade (João 13.23; Jo 13.23; Mateus 8.11; Mt 8.11). 
O rico também morreu e foi enterrado. E no hades, ele ergueu os olhos, estando em tormentos, viu Abraão de longe, e Lázaro com ele na posição junto ao seio. No inferno ou hades onde segundo o pensamento judaico, permaneciam os mortos à espera do Juízo.
O hades é o lugar para onde vão os ímpios após a morte, para aguardarem o juízo final. Os tormentos já começam no hades, fica evidenciado pela lastimável situação desse rico. O hades inclui o tormento característico do fogo do inferno (fogo, Apocalipse 20.20; Ap 20.10; agonia, Apocalipse 14.11; Ap 14.11; separação, Mateus 8.12; Mt 8.12).
Por isso chamou e disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim e manda que Lázaro mergulhe a ponta do seu dedo em água e refresque a minha língua, porque estou em angústia neste fogo intenso. 
Mas Abraão disse: filho lembra-te de que recebeste plenamente as tuas boas coisas no curso da tua vida, mas Lázaro, correspondente, as coisas prejudiciais. Agora, porém, ele está tendo consolo aqui, mas tu está em angústia.  E, além de todas essas coisas, estabeleceu-se um grande precipício entre vós, de modo que os que querem passar daqui para vós não o podem, nem podem passar... de lá para nós.     
O abismo simboliza a impossibilidade, tanto para os eleitos como para os condenados, de modificar o próprio destino. 
Ele disse então: neste caso, peço te pai, que o envies à casa do meu pai, pois eu tenho cinco irmãos, a fim de que lhes dê um testemunho, a fim de não virem também para este lugar de tormento. 
Respondeu Abraão: eles têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. Moisés e os profetas. Maneira de se referir ao AT.
O rico não prestava atenção às Escrituras e aos seus ensinamentos, e temia que seus irmãos caíssem na mesma falha. Mas ele instituiu: não pai Abraão; se alguém dentre os mortos for ter com eles, respondeu: se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco se deixarão persuadir, ainda que ressuscite alguém entre os mortos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ovelhas malhadas

Sacrifícios de tolo ou de justiça

A máscara caiu - Lucas 12.2